domingo, 6 de fevereiro de 2011

Pilates & Hérnia de Disco


As dores nas costas, também denominadas lombalgias, acometem de 80 a 90% da população em alguma fase de sua vida.
Em geral, a lombalgia é provocada pela degeneração discal ou pela hérnia de disco. Que podem estar relacionadas a vários fatores, como a má postura, esforços decorrentes de atividades físicas excessivas ou inadequadas, excessos de carga, obesidade, estrutura/carga genética, acidentes, entre outras que podem acabar deformando a estrutura da coluna.


A coluna vertebral é composta por vértebras, em cujo interior existe um canal por onde passa a medula espinhal ou nervosa. Entre as vértebras cervicais, torácicas e lombares, estão os discos intervertebrais, estruturas em forma de anel, constituídas por tecido cartilaginoso e elástico cuja função é evitar o atrito entre uma vértebra e outra e amortecer o impacto.


A Hérnia de disco se dá quando os discos intervertebrais desgastam-se em função do tempo e do uso repetitivo, ou seja, parte deles sai da posição normal e comprime as raízes nervosas que emergem da coluna.


O problema é mais freqüente nas regiões lombar e cervical, por serem áreas mais expostas aos movimentos e que suportam mais carga. Felizmente, cerca de 90% dos casos de lombalgia, se resolvem em 2 à 4 semanas através de repouso, medicamentos e fisioterapia. Porém, os restantes 10% ou são operados ou se tornam portadores de lombalgia crônica.


Dentro destes 10% que não obtiveram melhora dos sintomas, muitos ortopedistas estão indicando o PILATES, como manutenção e até reabilitação. Na tentativa de num primeiro momento realizar um tratamento conservador para proporcionar alívio dos sintomas e melhorar a qualidade de vida. Não levando a maioria dos casos direto ao tratamento cirúrgico.


Pilates é um método que preconiza alcançar um desenvolvimento do corpo de forma uniforme, objetivando uma melhora do físico e do mental com exercícios globais, que exigem um trabalho do corpo todo, utilizando diferentes aparelhos e equipamentos.


Através dos seus princípios, concentração, fluidez do movimento, controle da respiração e dos movimentos, precisão e controle do “centro” (constituído pela musculatura abdominal, lombar, assoalho pélvico e diafragma), o praticante do método irá obter uma melhora da consciência corporal, da flexibilidade, do equilíbrio e da força muscular. Readquirindo condições de manter sua coluna mais estabilizada, obtendo alívio dos sintomas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário